Custo de Oportunidade: Aprenda bem além do conceito!

Eduardinho

Eduardinho é Auditor da Receita Federal e educador na área de Finanças Pessoais. Criador do método Carteira Rica de enriquecimento, o autor compartilha suas dicas neste blog e vai ajudar você a transformar o modo como lidar com seus investimentos.

Você pode gostar...

9 Comentários

  1. 6 de junho de 2016

    […] voltamos para um conceito muito usado na economia: O Custo de Oportunidade. Esse termo se refere ao o que você deixa de ganhar escolhendo uma opção ao invés de […]

  2. 15 de fevereiro de 2016

    […] artigo sobre custo de oportunidade, vimos que a Selic (“o custo do dinheiro público”) e a taxa CDI (“o custo do […]

  3. 8 de fevereiro de 2016

    […] de custo de oportunidade na análise de viabilidade de […]

  4. 18 de dezembro de 2015

    […] Nunca compare valores em duas datas diferentes sem levar em conta a correção monetária ou o custo de oportunidade. Para aprender tudo sobre como usar o Excel ou LibreOffice para isso, veja esse […]

  5. 18 de dezembro de 2015

    […] e que a maior parte da população não tem uma poupança (muito menos investimentos que superem o custo de oportunidade representado pelo Custo Efetivo Total do empréstimo – CET), essa vantagem na verdade é uma […]

  6. 13 de dezembro de 2015

    […] delas é estipular um custo de oportunidade, ou seja, determinar um investimento considerado sem risco, com o qual você pretende comparar o […]

  7. 28 de novembro de 2015

    […] Sem a noção do comportamento do dinheiro no tempo, a pessoa acaba igualando mentalmente grandezas diferentes, como o dinheiro hoje e o dinheiro amanhã (sem levar em conta correção monetária e custo de oportunidade). […]

  8. 26 de junho de 2015

    […] tem apenas 100 mil após 3 anos, teve uma perda de 16% de seu investimento (desconsiderando ainda o custo de oportunidade). Casos assim estão cada vez mais […]

  9. 2 de junho de 2015

    Eloquent Ruby (Addison-Wesley Professional Ruby Series)

    Review”R>Eloquent Ruby is like programming in Ruby itself: fun, surprisingly deep, and youll find yourself wishing it was always done this way. Wherever