Tesouro Direto: O Guia para investir com alta rentabilidade

O Tesouro Direto é o investimento com maior segurança e rentabilidade do país. Mas apesar de muito citado, é pouco compreendido.

Tesouro Direto é o sistema criado pelo Tesouro Nacional para que as pessoas físicas também adquiram títulos públicos pela internet, sem sair de casa. Dizemos também porque, antes, só bancos compravam esses títulos e você precisava aplicar em um fundo para ter acesso a eles.

Assim existem os índices IMA de renda fixa, pois os bancos constituem fundos formados por investimentos em vários tipos de títulos públicos federais, que acompanham de certa forma esses índices, de acordo com sua composição.

  • IMA GERAL – Média ponderada dos outros índices
  • IMA-B – Fundos de Tesouro IPCA
  • IMA-S – Fundos de Tesouro Selic
  • IRF-M – Fundos de Tesouro Prefixado

Para o governo, os títulos públicos são a sua maneira de “fazer caixa“, ou seja, de gerar dívida pública e, assim, financiar investimentos em infraestrutura. Com o crescimento econômico, fica mais fácil pagar esse financiamento posteriormente.

Tesouro Direto: Rentabilidade histórica!

Os títulos públicos são considerados investimentos do tipo renda fixa e, portanto, não oferecem o glamour do investimento em Bolsa, embora sejam extremamente seguros e rentáveis.

Veja no gráfico que o índice Bovespa deveria estar acima dos 136 mil pontos ao final de 2015, para acompanhar uma aplicação corrigida pela taxa básica de juros, a Taxa Selic, desde 1995. Perceba como investir no Tesouro Direto gera alta rentabilidade:

Selic x Ibovespa


Toda essa rentabilidade, ao contrário do que se pensa, não vem junto com altos riscos no investimento. Nessa imagem, você pode ver como a variância das rentabilidades anuais da Selic é 22 vezes menor que a do Ibovespa.

Agora você entende porque no Brasil não são necessárias aplicações de risco para se obter altos retornos. Pelo contrário, com uma boa estratégia de investimentos inteligentes nos principais títulos públicos federais e em boas aplicações de renda fixa, o investidor alcançará sua independência financeira com facilidade, rapidamente e sem sustos.

Conclusão: Tesouro Direto vale a pena

Claro que, em qualquer hipótese em que você abandona a poupança e os fundos de investimento (opções cômodas, mas que rendem muito pouco), o negócio é seguir com suas próprias pernas.

Aí está a grande questão: fora da Poupança, o principal responsável por sua rentabilidade é você!

Não é bom isso? Nós adoramos, pois assim sabemos que não estamos pagando taxas exorbitantes de administração por uma gestão passiva do nosso dinheiro. Além disso, o Tesouro Direto oferece liquidez diária, então o dinheiro não fica “preso”, dependendo de suas estratégias.

Assim, no Tesouro Direto é você quem está no comando da carteira. Então, o melhor a fazer é buscar conhecer cada detalhes desse investimento e investir com consciência.

Como investir no Tesouro Direto

Para te ajudar nessa caminhada, elaborei um artigo sobre como investir no Tesouro Direto e um ebook gratuito, no formato PDF, com a experiência que acumulei treinando milhares (isso mesmo!) de pessoas a investir em todos os tipos de títulos públicos, e que você pode baixar agora para começar sua caminhada do iniciante ao avançado em Tesouro Direto.

Após receber o ebook, você verá uma apresentação Reveladora, que dará um Verdadeiro Nó em Sua Cabeça, sobre como “destravar” rentabilidades incríveis com o Tesouro Direto. A sensação é como se, de uma hora para outra, fosse retirado um véu que cobre seu rosto. É similar à toca do coelho que Alice usa para chegar ao país das maravilhas…

>> Baixar o ebook e ver a apresentação <<

Quero agradecer por você jogar luz nos nossos olhos. Comecei a ler ontem e fui dormir às 2 horas da manhã impressionado com as constatações vistas… Mário Jorge Taumaturgo Dias Soares

Olá Eduardinho, primeiramente gostaria de parabenizá-lo pelo conteúdo inovador no que tange a estratégias avançadas em Tesouro Direto. Não me recordo de ver conteúdo semelhante sobre Tesouro direto. normalmente se limitam a explicar como funciona cada título, mas não como maximizar retornos. André Guerra de Vasconcelos

Desde 2008 que compro títulos públicos, porém só agora tenho uma clareza de como funciona de fato esse investimento. Jean Lopes Nonato

Nesse ebook eu mostro:

O que são títulos públicos e porque são tão seguros.
Como escolher o título adequado ao seu objetivo financeiro.
3 segredos que a maioria das pessoas não conhece e as impedem de aumentar sua rentabilidade Tesouro Direto.

Os Títulos Públicos do Tesouro Direto

A primeira dúvida que o iniciante tem sobre como investir no Tesouro Direto é quando consulta títulos disponíveis e busca entender como funciona a tabela de preços para compra e, principalmente, como escolher entre eles.

Cheio de dúvidas? Como pode um título público pagar uma taxa que é o dobro de outra?
Calma, a taxa naquela tabela guarda relação com o retorno do título, mas não é a rentabilidade em si.

Tesouro Selic – LFT

Tesouro Selic (antiga LFT – Letra Financeira do Tesouro) costuma aparecer com uma taxa bem pequena na tabela. Mas isso não significa que renda pouco, pois a rentabilidade desse investimento, na verdade, segue todos os dias a taxa Selic que está sendo praticada.

Aquela taxa na tabela, muito próxima de zero (ou mesmo 0%), apenas significa o ágio ou deságio na compra daquele título. Para saber o que tem rendido ultimamente, você deverá consultar o histórico de rentabilidades e as estatísticas.

O Tesouro Selic é, no fundo, o único título pós-fixado do Tesouro Direto e é o mais usado por quem precisa do dinheiro no curto prazo.

Tesouro Prefixado – LTN e NTN-F

Em primeiro lugar, os títulos que você “vê com a maior taxa” ao ano são os chamados “prefixados”, que são o Tesouro Prefixado (antiga LTN – Letra do Tesouro Nacional) e o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (antiga NTN-F).

Esses títulos tem toda a sua rentabilidade determinada no ato da contratação (lembre-se que sobre todos os títulos incide Imposto de Renda e, dependendo, pode incidir IOF).

Tecnicamente, são chamados de títulos de rentabilidade nominal, pois nem toda a rentabilidade que se vê será real. Real é somente aquela que excede a inflação do período. No Tesouro Prefixado, você “vê” toda a rentabilidade no ato da contratação, mas quanto menos inflação tivermos pela frente, maior será a rentabilidade real.

Tesouro IPCA – NTN-B e NTN-B Principal

O Tesouro Direto oferece outros títulos prefixados, que são o Tesouro IPCA+ (antiga NTNB Principal) e o Tesouro IPCA+ juros (NTNB).

Esses títulos, que costumam ter os maiores prazos de vencimento e, portanto, são muito utilizados para formação de patrimônio e para complemento de aposentadoria, são os títulos de rentabilidade real.

Nesses títulos, a rentabilidade que você vê na tabela é oferecida acima da inflação. Em outras palavras, seu dinheiro será corrigido pelo IPCA (índice oficial de inflação) e, sobre esse valor, serão pagos os seus juros.

Nesse caso, teoricamente (nós temos um estudo que mostra que não é bem assim!), o seu rendimento estará protegido e não sofrerá os efeitos da inflação. Para quem pensa no longo prazo, considerar a inflação é de suma importância.

Por que considerar a inflação?

Muitas pessoas investem em CDB, poupança ou Fundos de Investimento e pensam que, investindo 100 mil reais e o investimento pagando 1%, elas terão mil reais por mês para gastarem.

O problema é que os preços das coisas sobem! Se você gastar todo o rendimento de uma aplicação cujo montante não é corrigido pela inflação, acabará com um valor investido totalmente desatualizado e corroído.

O certo é, supondo que o rendimento mensal foi de 1% (mil reais) e a inflação foi de 0,4%, gastar somente os 0,6%  de rendimento real (seiscentos reais) e deixar que o valor aplicado cresça um pouquinho, como se fosse corrigido pela inflação.

Títulos do Tesouro Direto com ou sem juros semestrais?

Uma pergunta que você deve fazer nesse momento é: como existe um título com juros e outro sem? O que não tem juros não rende?

Na verdade não é isso que quer dizer a expressão “com juros” no site do Tesouro Direto. Títulos públicos com juros são aqueles que duas vezes por ano pagam o chamado cupom de juros. Assim, no título sem juros, os juros permanecem aplicados (são somados ao principal) e nos títulos com juros, de tempos em tempos esses juros são pagos a você.

Simulador Tesouro Direto

Agora que você já entendeu cada título, pode acessar a calculadora do Tesouro Nacional e fazer estudos para saber quanto cada tipo de título público teria rendido.

Perceba que há uma opção de simulação avançada, em que você vende o título de volta para o Tesouro antes de seu vencimento. Nesse caso, a rentabilidade pode variar muito e já mostramos em um artigo de nosso site um simulador do Tesouro Direto simplificado, só para demonstrar como ocorrem essas variações.

Curso Tesouro Direto

Se você ficou interessado em gerar riqueza no longo prazo com esse que é um dos melhores investimentos, Baixe Agora o Ebook Gratuito em que revelamos os 3 Segredos ignorados pela maioria das pessoas (inclusive por “especialistas” que há por aí!) e, em seguida, assista a uma apresentação reveladora sobre como é possível “destravar” rentabilidades ainda maiores no Tesouro Direto do que aquelas que estão na tabela de contratação.

O que são títulos públicos e porque são tão seguros.
Como escolher o título adequado ao seu objetivo financeiro.
3 segredos que a maioria das pessoas não conhece e as impedem de aumentar sua rentabilidade Tesouro Direto.

Eduardinho é Auditor da Receita Federal e um dos maiores especialistas em Tesouro Direto do país. Já ajudou milhares de pessoas a investir melhor e fará o mesmo por você. Saiba mais

Quase lá. 50% completo!

progresso

Informe o email para o qual devemos enviar o material.

email

Nós odiamos spam e manteremos seu email seguro.

×