cambio

As 6 Ameaças Mais Perigosas à sua Aposentadoria (Reforma é só a 1ª)

Suponhamos que a tal Reforma da Previdência não passe. Será que sua expectativa de Aposentadoria estaria a salvo “para sempre”?

Ou apenas por um tempo?

A história nos mostra que situações confortáveis podem mudar. Não há como se precaver de acontecimentos inesperados, novas regras político-econômicas, problemas pessoais. Para ficar realmente tranquilo, você precisa ter investimentos suficientes para sustentá-lo na velhice. Investimentos dentro e fora do mercado financeiro.

Se você não conhece investimentos fora do mercado financeiro com foco em Aposentadoria, recomendamos essa série de vídeos para conhecer.

série de vídeos

Lista de Ameaças à sua Aposentadoria

Abaixo, listamos algumas ameaças perigosas que podem detonar seus planos para o futuro e o sonho da uma aposentadoria tranquila e confortável.

Ao final do artigo, apresentamos o que consideramos a melhor alternativa para se precaver desses riscos.

1 – Reforma(s) da Previdência

Que as contas não fecharão, todo mundo está cansado de saber. Deixando de lado as questões de onde está realmente o rombo no Governo, e considerando que as despesas com a previdência no país são as segundas na lista de gastos públicos (atrás da Dívida, que também precisa ser combatida), então sabemos que o sistema da previdência não se sustentará no futuro do jeito como está hoje. Alguma coisa vai mudar, queiramos, ou não.

O Governo escolheu colocar idade mínima para sua aposentadoria (65 anos homens e 62 mulheres), eliminar a aposentadoria por tempo de contribuição até 2026, e forçar a contribuição por 40 anos para que o contribuinte tenha acesso a aposentadoria integral, entre outras medidas. Confira aqui.

Na prática e de forma bem simples, ficará cada vez mais difícil se aposentar dignamente no Brasil pelo regime previdenciário do Governo. O melhor seria que não dependêssemos desse sistema.

2 – Mudança de tradição

Você sabe qual é um dos maiores problemas hoje na China?

Os idosos abandonados pelos descendentes. Matéria da BBC.

Não é apenas um problema para pobres, mas também para os ricos. Mas é verdade que esses ao menos podem “amenizar” o problema hospedando-se em locais luxuosos e com tratamento médico integral: cineastas aposentados, atores, pessoas famosas fazem isso.

Mas e a classe média, como fica? Os jovens não estão conseguindo o sustento próprio, o idoso achar que poderá contar com os descendentes é atitude de altíssimo risco. Mais um risco para sua aposentadoria (além do risco de ter que sustentar os filhos, mesmo adultos, caso não exista emprego para eles).

3 – Crises financeiras mundiais

Mesmo que seus investimentos tenham chegado a um patamar que não o deixa se preocupar com o futuro (o que não ocorre com a maioria dos brasileiros), as crises econômicas mundiais são potencialmente perigosas para o mercado financeiro e deixam à deriva muitos investidores.

Não há como fugir de uma crise, nem adianta migrar seus investimentos de um ativo para outro. Com a economia comprometida, todos os setores passam a sofrer as consequências e tudo que era certo passa a ser incerto.

Mais um motivo para buscar algumas opções também fora do mercado financeiro.

4 – Problemas de saúde

Pense bem: todos esperam que você vá viver mais. Mas não é um viver mais “mais joven”, é um viver mais quando estiver mais velho.

Você já pensou nos gastos de saúde que terá? Ah, mas serão baseados em alta medicina, medicina de ponta…

Você já pensou no custo elevadíssimo desses tratamentos? Tome por base o dia de hoje.

Toda opção de saúde que seja um pouco mais “avançada” que as comuns é extremamente mais cara, seja remédio, seja alimento, seja tratamento.

Viver mais será um peso no seu orçamento que a aposentadoria “convencional” do governo pode não suportar. Mais um grande risco para sua Aposentadoria.

idosos

5 – Desemprego tardio

Com o mercado de trabalho oscilando e as novas regras para contratação, quem te garante que sua empresa não vá te deixar na mão, trocando seu trabalho por uma mão de obra mais barata, ou mesmo automatizando a sua função?

A recolocação no mercado pode ser algo bem complicado, a depender de sua função e das demandas da economia. O ideal é que você tenha um plano B, ou seja, que considere no seu planejamento financeiro qualquer tipo de imprevisto, inclusive uma demissão.

– “Ah, mas estou no serviço público, não preciso me preocupar!”

Você acha mesmo? E se uma PEC tirar a estabilidade do serviço público? É esperado que as contingências financeiras levarão a isso em menos de 2 décadas.

Se o seu desemprego, na iniciativa privada ou na pública for muito tardio (quando se perde o emprego por volta dos 50 anos), uma recolocação pode ser muito difícil, a ponto de se tornar inviável. Se isso ocorrer, como você conquistará o tempo de serviço necessário para se aposentar?

O desemprego tardio é mais um risco à sua aposentadoria.

6 – Mudanças climáticas

As mudanças climáticas já estão ocorrendo.

O planeta ao qual nossos corpos estão perfeitamente adaptados, em um processo que levou milhares de anos, está mudando rapidamente de condições.

As novas condições são extremamente nocivas ao ser humano (raios ultravioleta, calor, falta de água), em especial adivinha a quais? Aos mais frágeis.

Ou seja, pior para os mais idosos, que têm menos condições de se adaptar e de superar condições mais adversas.

Além disso, há o aumento das catástrofes meteorológicas e terremotos, o que aumenta o risco de perde bens (carros, casas, bens no interior das casas), fora o risco de morte maior para os idosos nessas situações.

Mais um risco para sua aposentadoria.

 

Melhores Alternativas

Nessa série de vídeos (link da série) que recomendamos, você pode aprender alguns caminhos alternativos para formar um patrimônio que o sustente, que o faça não depender da Previdência Social (e do humor de políticos desonestos) quando você mais precisar. Recomendamos fortemente que você assista.

série de vídeos

Mais sobre os assuntos:

author-photo
Elis é jornalista aficionada por finanças pessoais. Segue firme na trilha para a liberdade financeira.