Artigo

Viajar Barato pelo Mundo: Não vai acreditar o que essa Garota faz

viagens baratas
Eduardinho 31 de janeiro de 2018

Para o assunto de hoje eu trouxe uma convidada, a Dani, que é, no meu círculo de amizades a expert em viajar barato.

Eu tenho minhas próprias técnicas para fazer tudo em uma viagem dentro do menor gasto possível e vou compartilhá-las aqui, mas as técnicas da Dani suprem completamente minhas limitações tecnológicas e de personalidade. O objetivo aqui é passar as estratégias minhas e as dela, para você somar tudo e extrair o possível de nossas experiências como viajeros.

Primeiro vou falar um pouco de mim, sem tirar a estrela da nossa convidada de hoje, a Dani. O que me ajuda muito a fazer viagens econômicas é meu perfil. Eu já era fã do Turismo de Experiência antes de ele existir. Ou, pelo menos, antes de o termo existir.

 

destinos baratos

1. Prefira Turismo de Experiência

Quando comecei a ter meu próprio dinheirinho, queria afobadamente viajar pelo Brasil. Fazia viagens curtas e frequentes, o objetivo era “conhecer” o maior número de lugares possível.

Um dia eu senti que aquilo tudo era imaturidade, quando percebi que estava perdendo grandes oportunidades. O “clique” ocorreu quando, na Serra da Canastra/MG, o dono da pousada nos convidou para um passeio que faria na Serra da Babilônia. Agradeci o convite, mas como tínhamos apenas 5 dias e exatamente 5 passeios para fazer, aquele passeio inesperado estragaria o plano traçado.

Passei a refletir sobre meu comportamento e a partir de então dou prioridade a viagens longas, procurando comer onde os “nativos” comem e em hospedagens rústicas. Acabei descobrindo que, além de ter melhores experiências, esse tipo de passeio costuma sair muito mais barato.

E por que a experiência dessas viagens é melhor? Porque eu abro completamente o espaço para o inesperado, a surpresa. Se sua viagem é toda traçada em detalhes, qualquer surpresa que ocorrer só pode ser ruim. Se você vai com a mente aberta para novas experiências, tudo que ocorrer é bom. Entendeu a mágica do giro interpretativo?

Hoje me dou um desconto, tratava-se de uma demanda reprimida dos tempos em que não tinha as condições de fazer viagens a qualquer hora.

Mas o primeiro passo para “criar” destinos baratos é esse: desenvolver a mentalidade de se enturmar com os nativos. Quem gasta muito dinheiro é turista. Nativo vive barato nos locais mais paradisíacos que você imaginar. Eu, que não bebo, já experimentei uma cerveja mexicana só para enturmar com os locais. Já comi buchada de bode (uma vez só já está bom!) e feijão de corda (esse é bom!) e esse tipo de experiência, para mim, tem sido recompensadora.

Cartilha do Sebrae sobre Turismo de Experiência

 

passagens aéreas baratas

2. Passagens Aéreas Baratas

O segundo passo é saber como comprar passagens baratas.

No vídeo da entrevista com a Dani, você pode ver como ela está viajando para o exterior com vôos baratos, de ida e volta por menos de quinhentos reais. É claro que essas são ofertas relâmpago, com janelas de oportunidade (prazo para compra) muito curtas.

Mas cá para nós, se você anula o custo do transporte, o resto é fichinha e você pode viabilizar viagens internacionais pelo custo de viagens nacionais.

Então, qual a técnica que a Dani usa? Simples, veja o esquema:

  • Criar um grupo geral de viajantes no WhatsApp.
  • Todos os integrantes devem seguir no Instagram alguns sites de viagem e se cadastrar (os sites são os citados no bate papo). Devem marcar, também, para serem notificados quando os sites postarem algo (não faça a loucura de instalar aplicativo de site de passagem barata, porque alguns enviam dezenas de notificações por dia, deixando qualquer um louco).
  • Quando um detecta uma excelente oferta, repassa a todos imediatamente.
  • Posteriormente, a Dani cria um subgrupo no WhatsApp para cada viagem. Nesse subgrupo os futuros viajantes trocam opções de câmbio, hospedagem e passeios.

Dicas gerais:

  • Nesse método, a marcação das viagens é feita com bastante antecedência e geralmente com a duração pré-determinada pela Companhia. Enfim, existe um trade-off entre preço e viagens personalizadas. Em outras palavras, ou você se adequa à oferta relâmpago, ou você traça o roteiro do jeito que quer, não dá para ter tudo na vida.
  • Sempre, antes de fechar a compra nas datas ofertadas, verifique rapidamente como costuma estar o tempo (o “clima”) no local pretendido (pode não compensar ir a destino de praia na época do frio ou de chuva – Florianópolis em maio que o diga…) e verifique se não é época de férias no destino, o que encarece muito a hospedagem. No hemisfério norte costuma haver uma miniférias entre março e abril que já me fez quase dormir na rua por viajar sem reserva prévia de hospedagem.

 

cambio

3. Câmbio

O terceiro ponto que pode te ajudar a viajar barato para fora do Brasil, ou te causar surpresas negativas depois da viagem é o câmbio.

Viajar para o exterior exige adquirir outra moeda (só na Argentina o comércio aceita Reais e ainda paga mal). Então, ou você usa Dólar/Euro, ou a moeda local, depende do destino.

Muita gente reclama que a cotação da moeda estrangeira, nas casas de câmbio sempre é um pouco acima do dólar Ptax divulgado pelo Bacen. Mas a resposta é: óbvio que é um pouco mais caro.

O Dólar Ptax é usado em contratos comerciais de milhões de reais/dólares e a moeda não chega a se movimentar “fisicamente” apenas entre contas bancárias de grandes empresas. Quando “Euzinho Eu” adquiro meia dúzia de dólares em espécie, essa moeda tem uma guarda física na casa de câmbio (custo com segurança), um transporte para chegar até mim e ainda o mesmo trabalho administrativo para formalizar uma compra de câmbio, o custo não tem como ser o mesmo.

Mas existem ofertas de câmbio melhores e outras piores. Então já fica, de antemão, a dica que naquele grande banco onde você tem conta, a taxa é horrível. Principalmente se você deixar para o cartão de crédito, em vez de colocar uns créditos pré em um cartão VTM (Visa Travel Money).

Atualmente, embora viajando pouco para o exterior (estou com filho pequeno) eu tenho adquirido moeda na BeeCâmbio e usado o sistema deles para fazer Remessa. Essa segunda opção eu tenho feito com mais frequência, aí meu dinheiro vai passear lá fora – investido – enquanto eu fico aqui por aqui mesmo.

Dicas gerais:

As grandes dicas que eu e a Dani temos para você em matéria de moeda:

  • Depois de comprada a passagem, vá comprando um pouquinho de moeda todo mês até a data do embarque. Com isso você evita de comprar logo e depois a cotação cair, ou o inverso.
  • Se for para um país que aceita Dólar, não tem problema se sobrar. Isso será até um incentivo para você realizar outra viagem depois. Agora, se o país tem moeda própria, não pode sobrar nada. Leve alguns dólares, que é universalmente aceito, e lá você faz câmbio para a moeda local se preciso.
  • Na Argentina (compensava, não sei hoje) vale a pena levar daqui o Dólar. Melhor que Real e melhor que a moeda deles.

 

hospedagem

4. Hospedagem

Seguindo nosso roteiro de como viajar barato, você já tem a mentalidade aberta para experiências, comprou passagem bem baratinho e tem moeda para usar.

Agora você precisará se hospedar.

Já dei a dica de que, em matéria de hospedagem, você tem que ficar atento aos feriados locais. Isso é sério. Na primeira vez que fui para o hemisfério norte, perto da época do spring break (nem sabia o que era isso), tive que aceitar “qualquer coisa” porque estava tudo reservado em algumas cidades.

Existem dois métodos bem diferentes para lidar com hospedagem.

Marcando com Atencedência

Se sua viagem tem sido no estilo da Dani, mais curtas e com roteiros planejados, bem fechadinhos, é bom você deixar tudo previamente reservado. Para isso, ela faz muita pesquisa em blogs de viagem, busca dicas no Tripadvisor usa sites como o Booking para reservar (eu uso demais o Booking).

Uma sugestão interessante no caso de você formar um grupo de viagens, como a Dani formou, é buscar o aluguel de imóveis maiores, por meio do AirBnb. O rateio entre várias pessoas deixa a hospedagem, nesse caso, muito mais barata.

Além disso, perceba que agora o Airbnb também está oferecendo experiências. Pode aparecer algo legal por lá, dependendo do seu destino. Vale a pena conferir.

Na cara e na coragem

Outro estilo de viagem é o meu. Depois que passei a priorizar o turismo de experiência, criei o hábito de reservar no Booking somente a primeira noite, pois é quando você está mais cansado e só quer recarregar as baterias. Daí para frente, é o que Deus mandar. Eu bato na porta das pousadas e negocio (claro que eu checo no Booking primeiro, pois se o preço de balcão for maior, eu peço sempre um desconto em cima do valor que achei no site).

Essa estratégia tem alguns inconvenientes, assim como a outra. Se reservar tudo antecipadamente pode te prender a uma hospedagem ruim, buscar hospedagem na hora pode te fazer perder um dia inteiro de viagem, mais de uma vez durante o passeio. Por isso que só funciona bem se você realizar viagens longas ou se aceitar qualquer nível de acomodação.

 

Conclusões

As principais lições após essa conversa com a Dani foram:

 

1. Formar grupos dinâmicos de viagens é extremamente vantajoso, poupa seu tempo procurando passagens aéreas baratas, porque distribui o trabalho e ainda permite negociações vantajosas de passeios e abre um leque de oportunidades em hospedagens (em que o rateio torna mais vantajoso que hotéis).

Antigamente, usava-se muito viajar em grupo, mas com a escalada do individualismo, hoje ninguém quer se submeter ao desgaste de esperar outras pessoas se arrumarem para passeios, ou abrir mão de visitar um local porque o grupo não quer. A solução que a Dani encontrou foi formar grupos dinâmicos no WhatsApp: há um grande grupo de viajantes frequentes (nesse grupo, todo mundo busca passagens para viajar barato) e subgrupos para cada viagem. Além disso, o normal é que, chegado no destino turístico, cada um é livre para ir para seu lado.

 

2. Realmente  não é possível ter tudo ao mesmo tempo:

  • Se você quer viajar na mesma época que todo mundo, se não tem flexibilidade de datas, pagará mais caro. Contrario sensu, se você tem datas flexíveis, basta querer que encontrará oportunidades muito mais baratas.
  • Se você quer o destino badalado e, uma vez lá, fazer os passeios tradicionais, prepare o bolso, a cidade inteira foi projetada para extrair o máximo de dinheiro de pessoas como você. Agora, se você aceitar experimentar os prazeres da cidade vizinha e os passeios alternativos, você tem uma grande chance de economizar. “Ah, mas como eu vou à cidade tal e não farei o passeio tal?” Releia nosso item 1. desse artigo, sobre turismo de experiência.

 

3. As redes sociais acabaram se tornando o principal meio para disseminação de promoções de viagens baratas. Mas, como cada oferta é escassa, infelizmente você tem que andar o tempo todo com o “dedo no gatilho” para comprar passagens. Muitas vezes isso pode ser incômodo. O que você pode fazer é “ativar” o seu modo viajante até adquirir uma boa oferta e, depois permanecer “desativado” durante um tempo, para descansar dessa correria de acompanhar passagens.

 

E você, conte para a gente, tem alguma técnica especial para viajar barato?

Leia também nosso artigo sobre pacotes de viagem.

Receba
gratuitamente o

Conteúdo para te ajudar a enriquecer

Acompanhe nas redes sociais