taxa cdi

Como analisar dados online: aula extra do curso de Excel grátis

Você está (ou deveria estar) fazendo nosso Curso Grátis de planilhas eletrônicas essencial para investidores.

É um curso básico, em que ensinamos como fazer, no Excel e no LibreOffice, as principais operações de matemática financeira.

Nas últimas aulas do curso, ensinamos a lidar com dados e estatísticas online, sistematizando-os para compará-los com outros dados. Ter essa capacidade é fundamental para diversas tomadas de decisões de investimento (aquelas embasadas, claro), nos quatro pilares da Carteira Rica.

Porém, fica uma questão: que dados usaremos em nossas análises?

Vários sites oficiais oferecem o download de arquivos no formato .csv para uso. Outros, não. Além disso, há vários sites que compilam e publicam índices, mas apresentam esses dados em uma tabela.

As antigas soluções de extração de dados

A solução mais arcaica é selecionar todo o texto da tabela, copiar, abrir o editor de planilhas eletrônicas e colar. É a famosa técnica do “se colar, colou” (literalmente). O problema é que, 99% das vezes, é muito difícil selecionar toda a tabela; os dados vêm desalinhados, em colunas erradas ou com formatação que você não deseja.

Além disso, é muito comum o aplicativo não reconhecer os números colados como números, mas como texto. Nesse caso, você tenta realizar operações com aqueles dados, ou traçar um gráfico e o resultado é que nada acontece.

A segunda solução seria usar a ferramenta de extração de dados online do Excel.

Aí você passa por outro problema: em vários sites o Excel simplesmente não detecta sequer a existência de uma tabela, sendo impossível extrair qualquer informação.

As novas ferramentas

Nos Estados Unidos, já é muito comum o uso do Import.io, em que as pessoas fazem suas regras e lêem os dados que quiserem.

A ideia do aplicativo é ótima, o grande problema é que o Import usa a notação americana de números, com a separação decimal com ponto e a separação de milhar com vírgula. Resultado: ao usarmos em sites de língua portuguesa, a importação fica defeituosa sempre que houver casas decimais.

Adivinhe: praticamente todo dado econômico que usamos possui casas decimais.

No dia em que o Import oferecer a opção de localização, ou seja, uso da ferramenta em outras línguas (no caso, em nosso padrão), será uma ferramenta muito útil para nosso propósito.

Como fazemos

Atualmente, a solução que eu uso é adicionar a extensão Scraper ao navegador Chrome.

extensão

E, posteriormente, abrir o endereço da web do qual desejamos extrair estatísticas, selecionar uma linha, ou parte dela (atenção: se você selecionar mais de uma linha, é possível que o aplicativo não reconheça o padrão dos dados), clicar com o botão direito do rato, selecionar “Scrape similar…” e copiar para a área de transferência, ou direto para o Google Drive, caso você esteja logado em sua conta Google.

site do tesouro

tabela

Aberta a ferramenta, você pode renomear as colunas na parte inferior esquerda, excluir as colunas que não lhe interessam na importação dos dados e, caso seja um usuário avançado, alterar o modo como a ferramenta “lê’ a página (XPath).

Dessa maneira, os dados que você vê na internet podem, em questão de segundos, passar a suas análises pessoais. Essa é, sem dúvida, uma ótima ferramenta de produtividade.

Obviamente, podem existir melhores, não sei qual você usa. Mas o objetivo do artigo era compartilhar com você a minha solução de uso pessoal.

Veja o vídeo abaixo, em que eu demonstro a maneira de usar a ferramenta e não se esqueça de iniciar nosso curso grátis de Excel básico para investidores, para receber as aulas que já temos disponíveis e eventuais futuras aulas.

 

Mais sobre os assuntos:

author-photo

Eduardinho é Auditor da Receita Federal e educador na área de Finanças Pessoais. Criador do método Carteira Rica de enriquecimento, o autor compartilha suas dicas neste blog e vai ajudar você a transformar o modo como lidar com seus investimentos.

1 Comentário