exercicios para o cerebro

7 exercícios para o cérebro ficar mais ágil

Treinar o cérebro e deixá-lo mais eficiente é algo bom? Claro que sim.

E não buscamos isso para satisfazer o ego, mas por motivos muito práticos: um cérebro mais eficiente é capaz de buscar soluções melhores para os problemas do cotidiano.

Por outro lado, um cérebro preguiçoso acaba apresentando saídas menos adequadas à complexidade de nossos problemas e, portanto, comprometendo nossa felicidade: seja em uma simples decisão de consumo, seja em uma decisão profissional complexa.

Nos artigos anteriores, abordamos a importância da mente especificamente nas finanças pessoais. Primeiro, listamos armadilhas de consumo para capturar seu dinheiro através da ativação de seu sistema límbico. Depois, vimos a importância dos hábitos nas finanças (hábitos são aquelas atitudes que treinamos nosso cérebro a tomar e já não mais submetemos a juízos de adequação à situação).

Hoje, compartilharemos uma coletânea de exercícios para o cérebro que levantamos pela internet, dentre os quais estão vários exercícios que nós (Eduardinho e Liz) nos habituamos a realizar em nosso dia a dia.

exercicios para o cerebro

Por que praticar desafios para o cérebro?

O cérebro humano, como qualquer parte do corpo, desenvolve-se quando usado regularmente, principalmente se o sujeitamos a pequenos desafios. Por outro lado, o desuso o faz “atrofiar”.

Bom, tecnicamente, ele não se atrofia como um músculo, mas as conexões neurais que não são usadas acabam sendo desfeitas, quando se tornam desnecessárias.

Entre os cientistas, essa possibilidade de o cérebro se tornar mais preguiçoso ou mais eficiente não é consensual. Porém, há estudos sérios (link 1) (link 2) apontando que sim, é possível realizar exercícios para o cérebro e melhorar sua performance.

Treinamento para tarefas específicas

Óbvio que quem treina um exercício específico é capaz de resolvê-lo posteriormente com maior desenvoltura. Mas os estudos que citamos, principalmente aquele sobre a inteligência fluida, extrapola essa conclusão. O estudo aponta que um cérebro treinado é capaz de resolver melhor novos problemas.

Enfim, não aprendemos apenas a responder a um estímulo determinado, mas somos capazes de aprender a resolver problemas, em geral.

Exercícios para o cérebro

Então você está decidido a aumentar a performance de seu cérebro. Vamos às dicas práticas:
meditação

.

1. Pratique meditação

A meditação melhora sua vida sob todos os aspectos. E você não deveria olhá-la com ressalvas, meditação não está necessariamente vinculada a uma religião. Você pode meditar, qualquer que seja sua orientação religiosa.

Alguns benefícios da meditação:

  • Aumenta a sua capacidade de concentração. Capacidade ameaçada pelo nosso modo de vida multi-tarefas digital;
  • Promove sua auto disciplina. Tarefas difíceis, como o aprendizado de uma nova língua exigem elevado grau de auto disciplina. A meditação ainda promove, além da auto disciplina, auto confiança, auto aceitação e auto consciência;
  • Melhora sua saúde e fortalece seu sistema imunológico. A meditação promove exatamente o efeito contrário ao stress, que o deixa mais vulnerável e debilitado. Se o stress pode causar doenças, a meditação pode até curá-las;
  • Traz paz e clareza ao raciocínio;

Aqui você encontra grátis arquivos de áudio para exercitar o cérebro com meditação guiada (em inglês).

.

2. Pratique jogos para o cérebro

Palavras cruzadas e Sudoku são os mais comuns quando se busca exercícios para estimular o cérebro. Mas a lista de jogos para o cérebro ganhou várias opções com os aplicativos de celular. Vejamos alguns que encontramos na internet:

.

3. Faça exercícios para a memória

A memória é uma parte muito importante da mente humana e influencia consideravelmente na capacidade do cérebro de tomar boas decisões. De nada adianta possuir um bom raciocínio, com lateralidade e profundidade, se você não tem uma grande “piscina” para ele mergulhar, no caso, a memória.

Existem exercícios para a memória muito interessantes, como ler um livro e contá-lo para alguém (ou escrever um resumo), ou tentar recordar cada item que comprou no supermercado (faça uma lista e depois compare com o cupom fiscal). Você pode ainda revisitar mentalmente os lugares por onde passou durante o dia (inclusive aqueles por onde rotineiramente passa) e tentar descrevê-los nos mínimos detalhes.

Como veremos abaixo, aprender uma nova língua ou realizar operações matemáticas complexas de cabeça também desenvolvem sua memória. Uma técnica que eu usava ao estudar para concursos era estudar uma matéria, depois, estudar uma outra matéria e, só então, responder a questões sobre o primeiro assunto (em vez de responder questões logo após ler a matéria).

Outra dica é fazer jogos como o seguinte: olhe atentamente para o primeiro quadro por 30 segundos, buscando gravar as palavras e posições. Depois, veja o segundo quadro e procure pelas palavras diferentes:

marrom televisão praia
dinheiro celular perigo
papel chá Londres

Após 30 segundos, veja o próximo quadro e encontre os nomes que sofreram alterações.

marrom sensação praia
dinheiro celular atenção
folha caneca Londres

Alimentos com Ômega 3, Vitamina E, Magnésio e, dizem, Ginkgo Biloba, também são bons para a memória.

cabeça

.

4. Substitua a máquina pela cabeça

Nem papel usamos mais para realizarmos nossas operações matemáticas. Hoje, tudo é feito pelo computador ou, no mínimo, a calculadora (do celular).

Porém, não se esqueça do que dissemos acima: no cérebro, a conexão que não é usada é desfeita. Então tente fazer algumas contas no papel e depois, passe a fazer de cabeça, inclusive as complexas, com várias casas decimais. Esquecemos de dizer no item anterior, mas operações matemáticas com várias casas decimais, realizadas de cabeça, também exercitam a memória!

.

5. Aprenda uma nova língua

Além de retardar o envelhecimento da mente, aprender uma nova língua é um exercício para o cérebro que traz diversos benefícios.

Aprender uma nova língua pode ser bastante desafiador no começo, mas persistência e disciplina o farão progredir rapidamente. O conhecimento de uma nova língua amplia seu vocabulário (vocabulário se refere à quantidade de palavras que você conhece. Veja como exercita também a memória!) e o aprendizado de novas regras gramaticais também desafiam o seu cérebro.

Essa notícia fala de um estudo que concluiu que pessoas bilíngues tomam melhores decisões financeiras. Cobrem-me de redigir um artigo com a tradução dessa matéria e colocar aqui no blog! Minha memória não anda muito bem e eu esquecerei de fazer isso (risos!).

.

6. Aprenda a tocar um instrumento musical

Aprender um (novo) instrumento musical é como aprender mais uma língua. Se você já toca algum, terá que aprender as habilidades motoras específicas daquele instrumento e a coordenação para o uso das duas mãos simultaneamente.

Se você ainda não toca ou iniciou nenhum instrumento, o grau de aprendizado será ainda maior, com a formação de um sem número de conexões em seu cérebro ao adentrar no universo musical (teoria musical, aprendizado das escalas, de harmonia, etc.).

Estudos apontam que crianças que tiveram contato com a música desde cedo conquistam melhores resultados em testes de QI. Porém, há quem conteste esses efeitos do contato com a música na infância.
diferente

.

7. Experimente algo novo

Algo mais radical como viajar para lugares totalmente desconhecidos (até mesmo cuja língua você não fala!) ou mesmo pequenas mudanças corriqueiras em sua rotina são capazes de estimular seu cérebro de uma maneira diferente e proveitosa. Exemplos de exercícios para o cérebro que você pode facilmente adotar:

  • Escove os dentes com a mão não-dominante;
  • Faça o mesmo com o mouse;
  • Realize tarefas com os olhos fechados, como tomar banho ou vestir-se;
  • Veja as horas pelo espelho;
  • Faça um percurso diferente para o trabalho;

Ainda não compartilhou o artigo com seus amigos? Clique na barra abaixo, escolha sua rede social favorita e seja solidário com seus amigos e parentes! Aproveite e coloque também abaixo sua técnica pessoal que pode ajudar outras pessoas.

Mais sobre os assuntos:

author-photo

Eduardinho é Auditor da Receita Federal e educador na área de Finanças Pessoais. Criador do método Carteira Rica de enriquecimento, o autor compartilha suas dicas neste blog e vai ajudar você a transformar o modo como lidar com seus investimentos.

4 Comentários