pacotes de viagens

A verdade chocante sobre Pacotes de Viagens

Neste artigo, fizemos um comparativo lado-a-lado entre os preços de pacotes de viagens da CVC, Decolar e Flytour (as três principais operadoras de turismo) e ainda simulamos se sairia mais barato a compra separadamente de cada item da viagem (passagens, hospedagem, traslados e tours).

Em um determinado momento da pesquisa, um resultado nos chocou a ponto de refazermos os cálculos para ver se havíamos feito algo errado.

Mas não, estava tudo certo. O preço do pacote realmente havia ficado 25% mais caro que a viagem elaborada por conta própria (R$ 5.440 por conta própria versus R$ 6.790 no pacote).

Mas essa não é a regra, ou as operadoras iriam à falência em pouco tempo.

No final, a realidade que desvendamos é complexa, bem parecida com o setor de supermercados: faz-se publicidade de alguns preços em promoção, bem baixos, mas espera-se que o cliente não consiga encaixar suas viagens naquelas lindas, mas restritas, ofertas.

Fora desses pacotes de viagens promocionais, o preço é apenas competitivo ou levemente melhor para os top destinos (Gramado, Porto Seguro, Caldas Novas, etc.) ou, se o destino for secundário (fora dos top destinos brasileiros), o preço tende a ser desvantajoso.

Antes de continuarmos, aproveite para compartilhar esse artigo no seu Facebook, Whatsapp ou Twitter e ajude seus amigos e parentes a também não caírem em uma cilada na próxima vez que forem sair de férias.

Duas maneiras de se economizar e a dificuldade da tarefa

Existem duas maneiras de se poupar dinheiro: a primeira é evitar a compra (esse é o modo mais árduo), e a segunda é comprar as mesmas coisas por um preço mais baixo.

Nem todos são fãs do primeiro método, mas com certeza todo mundo abre aquele sorriso quando consegue um meio de adquirir algo desejado por um preço muito mais baixo que a maioria das outras pessoas, não é verdade?

Muito legal, só tem um pequeno problema. Para termos esse gostinho de que barganhamos, precisamos ter um preço parâmetro para saber se a compra foi boa, ou não.

Mas se o que estamos buscando é um pacote de viagens, definir esse preço parâmetro é tarefa difícil: o natural das passagens aéreas e até das hospedagens é variar o preço quase todos os dias.

Então o turista fica com a sensação parecida com a de um operador da Bolsa de Valores: ele sabe que o preço hoje é um, mas amanhã pode ser outro.

O método que adotamos para comparar pacotes de viagens

Antes de iniciar nossa pesquisa, precisávamos garantir o mínimo de comparabilidade entre os diversos pacotes de viagens, ou teríamos premissas erradas e resultados equivocados.
Então vamos explicar passo a passo cada opção que realizamos:

  1. Selecionamos as 3 maiores operadoras do país para comparar: Decolar, CVC e Flytour.
  2. Levantamos os 10 destinos turísticos mais procurados do país e excluímos as capitais de Estados. Restaram: Caldas Novas, Porto Seguro, Gramado e Foz do Iguaçu.
  3. Como Gramado e Foz do Iguaçu estão na mesma região, optamos por descartar Foz. Optamos também por trocar Porto Seguro, devido à proximidade das férias de inverno, por algum destino que fosse menos procurado e ver se isso influenciaria no resultado.
  4. Nossa seleção ficou: Gramado/RS, Caldas Novas/GO e Tiradentes/MG.
  5. Cidade de partida: São Paulo.
  6. Para as datas, fizemos duas simulações (em 26/06/17): uma com data rígida, pré-estabelecida, dentro das férias de julho (04 a 31/07) e outra com data flexível, para aceitar eventuais pacotes de viagens promocionais da CVC, Decolar e Flytour.
  7. O preço do pacote e da viagem por conta própria foi simulado para um casal sem filhos.
  8. Tomamos o cuidado de verificar se os pacotes possuíam traslado incluído, ingressos de parques (no caso do Rio Quente Resorts) e até City Tour pela cidade destino. Orçamos esses serviços em sites separados e incluímos os preços.
  9. Somente comparamos lado a lado quando conseguimos exatamente a mesma hospedagem. Não fizemos aproximação entre hospedagens diferentes.
  10. Surpresinha! Decolar e o Booking não inserem no preço a taxa de 10% cobrada pelas hospedagens (você só vê essa taxa na hora de fechar o pacote). Isso deturpa o preço quando comparamos com a CVC, Flytour ou o Hotel Urbano, por exemplo. Para dar comparabilidade aos resultados, tivemos que fazer o cálculo desses 10% em todas as simulações.

Dito isso, vamos aos dados e, posteriormente, à nossa conclusão.

Resultados da pesquisa por viagens baratas

gramado

Pacotes de viagens para Gramado

Simulação com 8 dias/7 noites, de 11 a 18/07/17, incluindo traslado de POA para Gramado e city tour. Todas as hospedagens foram orçadas no mesmo hotel (Alpestre).
Como os preços dos pacotes de viagens das operadoras são por pessoa, foram multiplicados por dois e simulamos a compra até o último passo, para que fossem incluídas eventuais taxas (leia os detalhes do método no item anterior).

CVC Decolar Flytour
8.088,00 7.534,00 7.525,42
+10% sobre hospedagem (incl.) 609,30 (incl.)
Total: 8.088,00 8.143,30 7.525,42
+7,4% +8,2% 100%
Resultado: Flytour

 

 Por conta própria Valores
 Diárias (Booking) 6.885,09
Passagens Aéreas 1.384,26
Transfer 340,00
City Tour 100,00
Total: 8.709,35
Resultado: Vantagem para as operadoras sobre a viagem por conta própria,  com 15,7% de economia sobre o preço final (R$ 1.184).

Veja agora uma simulação usando o pacote promocional da CVC, pré-estabelecido (com partida em 26/08/17)(existem pouquíssimas datas disponíveis e você deve verificar a disponibilidade a partir de sua cidade). Em geral, esse tipo de pacote que é anunciado na mídia, apesar de ser a exceção na hora das vendas.

Se você quiser alterar qualquer opção, como a quantidade de dias, “já era”.

Resumo: 4 diárias, saída 26/08/17, hotel Alpestre:

Por conta própria Valor
Passagens Aéreas 674,00
Diárias de Hotel 4.105,50
Transfer 340,00
City Tour 100,00
Total por conta própria: 5.219,50
Pacote Promocional da CVC 3.975,00

Nesse caso, para o “pacotão rígido”, é possível conseguir uma economia de R$1.244, o equivalente a 23,8% do custo da viagem.

caldas novas

Pacotes de viagens para Caldas Novas

Nesse destino turístico, a comparabilidade restou um pouco prejudicada por a CVC e o Decolar não oferecerem a principal atração, o Rio Quente Resorts. As opções da CVC eram tão fracas que a excluímos da lista, já o Decolar, aproveitamos.

A Flytour, por outro lado, saiu um pouco privilegiada, pois possuía pacote justamente iniciando em 09, para um período até 13/07 – no Rio Quente Resorts – Giardino Suítes, com acesso ao Hot Park e Parque das Fontes todos os dias, traslados do aeroporto e meia pensão (não é all inclusive, é meia pensão).

Como não há vôos de São Paulo para o Aeroporto de Caldas Novas todos os dias, mas somente domingo e quinta, então não tivemos como fazer a simulação por “data rígida” e a data do passeio por conta própria acabou coincidindo com a data do pacote já pronto da Flytour.

Talvez por esse motivo, ela acabou batendo o roteiro por conta própria:

Por conta própria
Flytour Site Hotel Hotel Urbano
Diárias (incl.) 4.605,44 4.011,11
Passagens Aéreas (incl.) 3.309,92
Traslado (incl.) 280,00
Subtotal: 6.633,38
+10% sobre hospedagem (incl.) (incl)
Total: 6.633,38 7.601,03
Resultado: Flytour

Nessas condições, o pacote da Flytour foi mais econômico em 14,5%, ou seja, R$ 1.032.

Na segunda simulação, fizemos Decolar versus Viagem por conta própria, no Lagoa Quente Hotel:

Por conta própria
Decolar Decolar dia seguinte Booking Booking dia seguinte
Diárias (incl.) (incl.) 2.128,00 1.010,00
Passagens Aéreas (incl.) (incl.) 3.309,92 3.309,92
Subtotal: 6.786,00 6.741,00
+10% sobre hospedagem não há
Total: 6.786,00 6.741,00 5.437,92 4.319,92
Resultado: Conta própria
Esse foi, sem dúvida, o resultado que nos chocou.

Até então, os resultados estavam relativamente equilibrados entre operadoras e viagens por conta própria. As operadoras possuíam, inclusive, certa vantagem.

Mas nesta simulação, houve uma diferença de R$ 1.348 no dia da coleta, o equivalente a 25% acima do custo da viagem por conta própria.

Resolvemos fazer um “tira teima”, colhendo a mesma simulação no dia seguinte e o resultado foi ainda mais chocante. Com o Booking fazendo uma super-promoção (Hot Deal) e baixando o preço da estadia para menos da metade, a diferença entre a viagem por conta própria e o pacote da Decolar alcançou extraordinários R$ 2.467, ou seja, 57% de diferença acima da viagem por conta própria.

tiradentes

Pacotes turísticos para Tiradentes

Como os dois destinos anteriores estavam entre os 10 mais procurados do Brasil, optamos uma simulação por um destino turístico, mas de menor porte. No caso, escolhemos a cidade histórica de Tiradentes/MG, para ver se as agências de viagens também teriam preços competitivos para um destino que não fosse tão concorrido como os anteriores.

Não deu outra: o resultado inverteu de lado e a viagem por conta própria se tornou mais vantajosa.

Simulação para viagem com data rígida de 09 a 14/07, na pousada Papyrus, quarto com ventilador (a Flytour não opera esse destino e foi excluída).

Conta Própria
CVC Decolar Booking Hotel Urbano
Diárias (incl.) (incl.) 1.144,00 1.057,32
Passagens Aéreas (incl.) (incl.) 1.093,12
Subtotal: 2.985,00 2.750,00 2.150,44
+10% sobre hospedagem (incl.) 114,40 (incl.)
Total: 2.985,00 2.966,57 2.150,44
Resultado: Conta própria

A diferença parece pequena em valores R$ 816, mas se analisada em percentual, temos uma estrondosa diferença de 38% acima do custo da viagem por conta própria, tanto pela CVC quanto pela decolar, que empataram no preço.

Na simulação com datas flexíveis, aceitando as datas de pacotes de viagens já estipuladas pela CVC e pela Decolar, a diferença de preço diminui, com a CVC empatando com o custo por conta própria (R$ 2.142 vs R$ 2.150,44) e a Decolar ficando apenas um pouco atrás, com R$ 2.387,69.

Conclusões sobre viagem, pacotes e agências

O universo analisado não foi tão vasto quanto o que se esperaria de uma pesquisa científica. Porém, foi suficiente para inferirmos alguns raciocínios. Vejamos os 7 Prós e os 7 Contras dos pacotes:

 

 Prós

#1: Pacotes promocionais (pré-montados: “datas rígidas”) para os top destinos tendem a ser vantajosos.

#2: Pacotes promocionais (pré-montados: “datas rígidas”) para destinos secundários tendem a ser competitivos.

#3: Apesar da customização pelo cliente (que faz encarecer), os pacotes continuaram vantajosos no top destino Gramado.

#4: Com o pacote, você transfere o risco do transporte para a agência! Ótima contribuição de nosso leitor, o Ricardo Ramos. Muito bem lembrado. Se você viaja por conta própria e seu vôo atrasa ou é cancelado, e sua reserva na hospedagem já está feita, o risco é seu e você pode perder uma diária do hotel, por exemplo. Ao fechar o pacote incluindo passagem, a obrigação da operadora é global: levar ao destino e hospedar pelo prazo determinado. Se algo der errado no caminho (mesmo que por condições meteorológicas, o risco é dela).

#5: Pacotes podem ser divididos. Dessa eu também havia me esquecido e tiveram que me lembrar. Hospedagem pelo Booking ou por conta própria nem sempre pode ser dividida. Já os pacotes podem ser divididos em até 10 ou 12 vezes (por outro lado, se você adquire o pacote com muita antecedência, é possível que pague todo ou boa parte do pacote, antes mesmo de viajar).

#6: Viajar em grupo (pacote) pode trazer mais sensação de segurança se o destino for alguma cidade famosa pela violência. Além de o turista estar mais vulnerável sozinho, a presença do guia da operadora (que certamente conhece o local) ajuda a evitar situações de risco.

#7: Suporte e atenção. Se você é do tipo que gosta da viagem perfeita, não gosta de lidar com eventuais problemas, o pacote também é uma boa pedida. Qualquer contratempo, você conversa diretamente com a operadora e ela fará de tudo para proporcionar a solução que o deixe satisfeito.

 

 Contras

#1: Em alguns casos (dois dos que analisamos), os pacotes de viagem customizados foram absurdamente mais caros que a viagem por conta própria (entre 40 e 50% mais caros!)

#2: Quando o cliente resolve customizar o pacote, o preço encarece, sendo essencial fazer a comparação com o custo da viagem por conta própria. Pense na agência de viagens como um supermercado: anunciando sempre as ofertas, mas esperando que o cliente leve para casa os outros produtos das gôndolas.

#3: É essencial ver se o pacote inclui os 10% de taxa de serviço, ou se essa taxa deverá ser paga ao hotel no checkout. Alguns pacotes (como da Decolar) às vezes parecem mais baratos por esse motivo.

#4: Cuidado com cláusulas abusivas de cancelamento. Exemplo de abuso no cancelamento. Uma das operadoras tem uma multa de R$ 2.000 para o cancelamento de um pacote de R$ 2.480 (R$ 1.240 por pessoa), ou seja, 80% do valor do pacote. Fique atento, na justiça é possível conseguir a redução para o percentual máximo de 10% do serviço contratado.

#5: Lembre-se: fora de temporada, o pacote te engessa. Nunca se esqueça que você pode chegar a um hotel e não gostar das acomodações. Se você contratou um pacote, é muito mais difícil lidar com essa situação do que se você deixar para contratar a estadia cada dia de uma vez, já na pousada. A viagem por conta própria também permite dormir em cidades vizinhas interessantes.

#6: O parcelamento do pacote nem sempre é benéfico. Geralmente o parcelamento (sem juros) é vantagem, mas nem sempre. Se você reserva o pacote com muita antecedência, pode ocorrer de pagá-lo integralmente antes mesmo de viajar. Então, qual foi a vantagem em parcelar? Em termos de fluxo de caixa, nesse caso, é desvantagem.

#7: Dinheiro não é tudo, o que importa é a experiência. Para quem tem espírito aventureiro, viajar com grupo grande passa a sensação incômoda de ser “mais um boi na boiada”. Nesses casos, não vale a pena economizar, se a experiência não será a que se deseja.

 

Mais sobre os assuntos:

author-photo
Eduardinho é Auditor da Receita Federal e educador na área de Finanças Pessoais. Criador do método Carteira Rica de enriquecimento, o autor compartilha suas dicas neste blog e vai ajudar você a transformar o modo como lidar com seus investimentos.