taxa títulos públicos

Aprenda a calcular sua taxa média em títulos públicos

Se você já investe no Tesouro Direto, deve saber o que são títulos públicos prefixados: de maneira resumida, aqueles em que a rentabilidade real, no caso do Tesouro Ipca (NTN-B), ou nominal, no caso do Tesouro Prefixado (LTN e NTN-F) é estabelecida no momento da compra. O preço desses títulos, no ato da contratação, depende justamente da taxa e do prazo para o vencimento.

Tesouro Selic é diferente

Claro que quem só investe no Tesouro Selic (LFT) não necessitará calcular a taxa média de contratação, pois sua rentabilidade é diária, na taxa equivalente a um dia de rendimento da Selic (em outras palavras, a taxa Selic hoje, a cada dia, que é diferente da Meta Selic).

Fazemos várias compras, não apenas uma

Mas o que ocorre é que a maioria das pessoas investe em vários tipos de títulos públicos e, também, realiza várias compras, não apenas uma.
A própria calculadora do Tesouro, por mais detalhada e interessante que seja, realiza (obviamente), o cálculo para cada “lote” de títulos que você comprou. Afinal, cada papel renderá conforme as diversas variáveis que lhe são únicas e que você encontra lá na calculadora (tipo de título, data da compra, data do vencimento, valor investido, taxa do papel na compra, taxa de administração do banco, a data da venda e a taxa do papel na venda). Essas variáveis proporcionam um cálculo exato para cada título.

Uma visão geral da exposição de sua carteira de títulos públicos

Porém, muitas vezes o investidor que ter um panorama geral de sua carteira de títulos públicos. Ele quer saber como está sua carteira de títulos, de uma maneira geral, em relação à situação atual das taxas disponíveis para venda.

Em outras palavras, ele sabe que pode calcular individualmente quanto lhe renderia hoje cada título, ou mesmo apenas olhar o valor de mercado individualizado ou global em seu extrato consolidado. Mas e se ele quiser ter uma noção de sua exposição a taxas e a possíveis variações destas?

Nesse caso, a solução mais simples e rápida é calcular a taxa média de compra para cada tipo de título público. Supondo que ele tenha efetuado as seguintes compras (dados hipotéticos, extraídos do histórico deste título):

  • Tesouro Prefixado (LTN), 2 unidades, em 13 de janeiro de 2015, ao PU de R$ 890,84 e taxa de compra de 12,79%;
  • Tesouro Prefixado (LTN), 5 unidades, em 25 de março de 2015, ao PU de R$ 907,32 e taxa de compra de 13,54%;

Se são apenas duas compras, até é fácil. No caso em questão, tiraremos a média ponderada das compras:

[(2 x 12,79%) + (5 x 13,54%)]/( 2 + 5 )

Atenção, se for usar a fórmula no Excel ou LibreOffice, troque os colchetes por parênteses.

Mas suponhamos que você tenha efetuado dezenas de compras, o cálculo assim pode ficar mais complicado, não acha? Que tal fazê-lo buscando maior produtividade?

Passo a passo do cálculo da taxa média

tabela

1Instale a extensão Scraper no Chrome e aprenda a usá-la para extrair dados online e importá-los para Excel/LibreOffice.

2Abra o Portal Investidor do Tesouro Direto no Site da Bovespa e clique em “Consultar” > “Extrato Consolidado” > clique na Lupa na última coluna “Analítico” para determinado título (a taxa média será calculada para cada tipo de título público que você detiver).

títulos públicos federais

3Selecione parte de uma linha qualquer, clique com o botão direito do rato e em “scrape similar…” no menu que aparece. Aberto o scraper, renomeie as colunas 2 e 6 para “Saldo atual” e “Taxa pactuada”.

4Clique em “Copy to Clipboard” ou salve em seu Google Docs, conforme sua preferência. Abra o arquivo e acrescente a seguinte fórmula nesta nova coluna. Nesta coluna, preencha com o resultado da multiplicação do Saldo atual pela Taxa (na seleção da imagem acima, seria 7,00 * 6,90). Preencha toda a coluna com a mesma fórmula (use copiar e colar, ou a ferramenta preenchimento automático, dando duplo clique no pequeno quadrado preto que aparece no canto inferior direito da célula em que você escreveu a fórmula).

5Realize o somatório de todas linhas da coluna “saldo atual” e da nova coluna que você criou. Divida o somatório da nova coluna pelo somatório do saldo atual (o somatório do saldo atual já está presente no extrato consolidado).

 

PS.: Atenção alunos do curso de Tesouro Direto: Na área de debates está sendo compartilhada uma planilha para o cálculo automático da TMC, DMC e outras funcionalidades, elaborada por um aluno e aprimorada pelos demais.

Mais sobre os assuntos:

author-photo

Eduardinho é Auditor da Receita Federal e educador na área de Finanças Pessoais. Criador do método Carteira Rica de enriquecimento, o autor compartilha suas dicas neste blog e vai ajudar você a transformar o modo como lidar com seus investimentos.

1 Comentário